segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Portifólio 4: A escrita na TV

Redação em TV

Depois de ter passado pela TV+ como repórter eleitoral, convidaram-me para ser redator no núcleo artístico da emissora, em 2009. O nível de trabalho era gigantesco, o que, confesso, atrapalhava a criatividade na hora de fazer os textos das cabeças das pautas (cabeça, em TV,é quando o apresentador chama um vídeo ou uma reportagem; uma espécie de introdução).

Nosso núcleo, comandado pelo jornalista Gustavo Baena, produzia cinco programas. Detalhe: éramos apenas cinco profissionais para fazer tudo isso. Mas também tem seu lado bom. Apesar de ligar o "piloto automático" e acabar fazendo as coisas por osmose, você passa a ter agilidade, concentração, tomada rápida de decisões (pois quase todos os programas eram ao vivo).

Redigi programas de variedades, saúde e culinária. Neste último, experimentava todas as receitas assim que o programa saía do ar! Era bem corrido! Mas a TV+ tinha um item que sempre me deixou muito satisfeito em fazer parte da casa. Fundamental para qualquer empresa, eu diria. Foi o melhor ambiente de trabalho que encontrei até hoje, em mais de cinco anos de carreira.

Nossa redação era movida à descontração. Música, piadas, um pouco de bagunça deixavam o ar que respirávamos, com certeza, muito mais leve. Também éramos muito unidos, coisa rara de se encontrar na maioria das empresas. Quase sempre, acontece o contrário. Ambientes sisudos e nos quais alguém sempre quer tirar aquele "pedaço de pano feito para pisar" debaixo dos seus pés (traduzindo: puxar seu tapete).

E engana-se o patrão que pensa que um ambiente alegre é pouco produtivo. Ríamos, fazíamos piada, mas trabalhávamos muito. Estávamos no núcleo da casa que tinha o maior número de programas para fazer com a menor quantidade de profissionais. Seriedade e diversão. Nosso lema. Minha passagem lá foi muito feliz. Abaixo coloco algumas fotos da turma para rememorar aquele tempo.

Estão presentes: Renata Yabusaki, Diego Leporati, Douglas Baena, Gustavo Baena, Marcel Salim, Cesar Lucchesi, João Hungria, eu, Renata Kapitanovas e Natália Petreca. Risada geral!

Para fechar, juntando o post anterior com esse vem o chamado resumo da ópera: Jornalistas! Por favor, escrevam direito! Não assassinem a "Última Flor do Lácio, inculta e bela". Se existe uma dúvida ortográfica, consulte um dicionário. Está com problemas na concordância? Veja uma gramática. Não quero ser professor de quinta série com esses conselhos, mas, francamente, tem muita gente que precisa. Um forte abraço.






































4 comentários:

  1. Querido Leandro, parabéns por mais essa iniciativa, e mais ainda, pelo excelente trabalho que executa!!!
    Sucesso seeempre!!! Torço mtoooo por vc, e vc sabe o quanto!!! Deixei anônimo exatamente pq sei q vc vai descobrir quem é...coração rs!!!
    Beijossss

    ResponderExcluir
  2. Hahaha! obrigado pela visita, Mama! Bjo!

    ResponderExcluir
  3. Saudades ... Bons tempos meu caro.

    ResponderExcluir